Fred Amâncio afirmou, nesta quinta (16), que este ano letivo pode ser estendido para o seguinte: 'o mais importante não é a quantidade de horas, mas o aprendizado dos estudantes'.

Secretário de Educação de PE explica o protocolo para retomada das aulas presenciais O calendário letivo de Pernambuco deste ano pode ser finalizado em 2021, devido à pandemia do novo coronavírus, segundo o secretário de Educação e Esportes do estado, Fred Amâncio.

No Bom Dia Pernambuco desta quinta-feira (16), ele afirmou que não há previsão para o retorno das aulas nas escolas, apesar de o protocolo para o retorno das atividades presenciais nas instituições de ensino já ter sido divulgado. Veja a média móvel da pandemia em Pernambuco Saiba o que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus Coronavírus: confira perguntas e respostas "Diante desse período tão longo de suspensão das aulas, pode ser necessário complementar conteúdo no ano letivo de 2021 para o geral dos estudantes, porque o mais importante não é a quantidade de horas, mas o aprendizado dos estudantes", declarou o secretário. Fred Amâncio disse, ainda, que, nas escolas de educação básica das redes pública e privada, as escolas deram sequência às atividades não presenciais.

Mesmo assim, será necessária a reposição do conteúdo programático previsto. "Claro que vai ser necessário não apenas a retomada normal, mas um trabalho complementar, de reposição, de reforço escolar, o que pode implicar na extensão do calendário escolar.

A gente pode ter um calendário um pouco mais extenso, para dar conta do volume maior de conteúdo", contou.

Fred Amâncio é secretário de Educação e Esportes de Pernambuco Reprodução/TV Globo Uma das medidas previstas no protocolo de retomada é a distância mínima de um metro e meio entre alunos, profissionais e colaboradores, em todos os ambientes.

Para garantir isso, os gestores devem reduzir a quantidade de estudantes nas salas de aula e até adotar o esquema de rodízio.

Entretanto, no ensino infantil, segundo o secretário, a fiscalização deve ser ainda mais rígida. "No caso da educação infantil, como não é uma etapa obrigatória, ela não tem uma contagem, não tem avaliação.

Nos outros, a indicação, na retomada das aulas, é, no processo do dia a dia das escolas, avaliar como foi a aprendizagem nesse período para poder planejar o próximo passo.

Na educação infantil, deve haver um tratamento especial", explicou. Protocolo de retomada Quando retomarem atividades, escolas devem seguir normas e podem até fazer rodízio O documento sugere, entre outras questões, a promoção de diferentes intervalos de entrada, saída e alimentação para evitar aglomerações dentro das instituições (veja vídeo acima).

O conjunto de normas deve ser aplicado para a educação básica, ensino superior e cursos livres (cursos de línguas, cursos técnicos, qualificação profissional e outros). O protocolo setorial também prevê o adiamento de qualquer evento presencial na escola e a suspensão das atividades esportivas coletivas.

Caberá às escolas, ainda segundo o documento, a orientação para estudantes e trabalhadores sobre a necessidade de se evitar contatos próximos, como apertos de mãos, beijos e abraços. Os horários das refeições devem ser alternados, e a escola deve estabelecer o distanciamento de dois metros durante a alimentação dos estudantes.

Em coletiva de imprensa transmitida pela internet na quarta-feira (15), Fred Amâncio disse que a data para implementação do plano de retomada deve ser definida até o fim de julho. Covid-19 em Pernambuco Pernambuco confirmou, na quarta-feira (14), 1.384 casos da Covid-19 e 57 óbitos.

Com isso, o estado passou a contabilizar 74.960 infectados pelo novo coronavírus e 5.772 mortes, números que começaram a ser registrados no início da pandemia, em março. Initial plugin text